Vida

Tribunal julga ‘homicídio por telemóvel’

Uma jovem norte-americana está a ser julgada em tribunal pelo suicídio do namorado, no ano passado. A acusação pretende provar que a rapariga provocou a morte do jovem, ao pressioná-lo através de mensagens de telemóvel.

O caso teve alguns avanços e recuos nos últimos meses, mas uma juíza de um tribunal de menores do Massachusetts decidiu na quarta-feira que a acusação tem pernas para andar e que a jovem pode mesmo ser julgada por homicídio involuntário.

Tudo se passou em Fairhaven, cidade vizinha de New Bedford, no estado do Massachusetts. Michelle Carter, na altura com 17 anos, incentivou o namorado, Conrad Roy, a cometer suicídio. Isto através de mensagens de telemóvel. Segundo a imprensa norte-americana, a acusação analizou mais de mil SMS. Se alguns eram perfeitamente normais numa relação entre amigos ou namorados, outros eram bastante incriminatórios.

“Quando é que o vais fazer?”, questionou Michelle numa das mensagens para Conrad, que enfrentava uma depressão e tinha sentimenos suicidas. Noutra foi ainda mais direta: “Estás sempre a dizer que o fazes e depois nunca avanças”. Farta das “desculpas” do namorado, Michelle disse várias vezes que só queria “ter a certeza que esta noite é que é”.

A 12 de Julho Conrad chegou mesmo a encaminhar os gases do escape da sua carrinha pick-up, para se suicidar através dos vapores tóxicos. Mas numa nova troca de mensagens disse à namorada que tinha medo de abandonar a família. A resposta de Michelle foi taxativa: “volta lá para dentro”.

Conrad foi encontrado morto pela polícia no dia a seguir, dentro da carrinha, no parque de estacionamento de um supermercado, com o telemóvel ao lado. A acusação afirma que a namorada teve um papel importante ao auxiliar o namorado a cometer suicídio. Michelle enfrenta uma pena que pode chegar a 20 anos de prisão, mais do que o seu tempo de vida até agora.

emanuel.costa@sol.pt