Sociedade

Polícia desmantela laboratório em Lisboa que tirava droga de cachaça

A Polícia Federal do Brasil desmantelou hoje uma rede internacional de tráfico de droga que contava com um laboratório de sintetização na margem Sul do Tejo. A cocaína chegava a Portugal diluída em cachaça e só depois era extraída. As autoridades brasileiras contaram com a colaboração da Polícia Judiciária portuguesa que surpreendeu cinco homens – três portugueses, um brasileiro e um espanhol - nos arredores de Lisboa.

Na altura em que os inspetores chegaram ao laboratório improvisado tinham já sido extraídos da bebida alcoólica cerca de oito quilos de cocaína. Mas dados fornecidos pela Polícia Federal do Brasil permitem calcular que os suspeitos iriam extrair mais 42 quilos de droga.

Ao Sol, fonte da PJ explicou que a cocaína tinha como destino o território espanhol sendo possível que, posteriormente, fosse distribuída para outros países.

A descoberta do laboratório e as detenções ocorreram há cerca de dois meses, mas a polícia portuguesa não anunciou a operação para não prejudicar as investigações do outro lado do Atlântico.

Uma tonelada apreendida no Brasil

A operação das autoridades brasileiras foi concluída hoje e, segundo o Sol sabe, foram cumpridos 101 mandados judiciais em seis estados: 28 mandados de detenção, 22 de condução coerciva e 51 de buscas domiciliárias. Durante as investigações a polícia apreendeu mais de uma tonelada de cocaína.

A Polícia Federal acredita que há juizes desembargadores e advogados envolvidos neste esquema, que contava com outros dois laboratórios além do de Lisboa.

Fonte da PJ que pediu para não ser identificada, explicou ao Sol que o êxito desta operação se deve “à boa cooperação e coordenação entre a Polícia Judiciária e a Polícia Federal”. Lembra ainda que as autoridades portuguesas não podiam anunciar a operação realizada na margem Sul, uma vez que “isso poderia comprometer” os trabalhos que estavam a ser desenvolvidos no Brasil.

carlos.santos@sol.pt