Internacional

Senadores americanos querem executivos da Volkswagen na prisão

Dois senadores democratas norte-americanos, Richard Blumenthal e Amy Klobuchar, enviaram uma carta para a procuradora-geral dos Estados Unidos, Loretta Lynch, a pedir mão pesada para os executivos da Volkswagen. Ainda com a investigação ao escândalo das emissões no início, os senadores entendem que os responsáveis do grupo alemão não devem livrar-se da cadeia.

“Particularmente preocupados” com o facto de tanto a empresa como os seus responsáveis terem feito “múltiplos testemunhos falsos”, o senador do Connecticut e a sua colega do Minnesota defendem que “os executivos da Volkswagen não devem escapar à prisão”. Na carta conjunta para o Departamento de Justiça, Blumenthal e Klobuchar lembram ainda que aquele organismo “não deve aceitar um acordo com a Volkswagen sem assegurar antes que toda a informação relacionada com atos criminosos de altos funcionários seja transmitida”.

Os dois senadores pedem ao Departamento de Justiça “uma investigação criminal exaustiva, mas expedita”. E acabam por trazer à baila a própria administração de Obama: “As ações criminosas e enganadoras tomadas recentemente por alguns construtores automóveis são inaceitáveis. O Governo dos Estados Unidos deve tornar claro que estas ações, seja a envolver problemas de segurança, enganar os consumidores ou violar regras não serão toleradas pelo povo americano”.

Com o processo de investigação longe de terminar, a posição destes senadores poderia ser ‘apenas mais uma’. No entanto Richard Blumenthal e Amy Klobuchar fazem ambos parte dos comités de Justiça e do Comércio no Senado norte-americano. E Blumenthal foi um dos impulsionadores da criação de fundos de compensação para vítimas de acidentes rodoviários relacionados com dois problemas recentes do setor automóvel: o defeito do sistema de ignição em modelos da General Motors e o defeito dos airbags fabricados pela japonesa Takata para dezenas de marcas automóveis.

A Volkswagen confirmou na semana passada que 11 milhões dos seus automóveis a gasóleo foram equipados com um sistema que adulterava as emissões poluentes nos testes oficiais. Esta terça-feira a Siva, importador do grupo para Portugal, confirmou que foram vendidos 94.400 veículos dessa lista no nosso país, das marcas Volkswagen, Audi e Skoda. A estes há a juntar-se o número da Seat, que têm outro representante, e ainda – mais difícil de encontrar – o total de automóveis usados importados de outros países como a Alemanha.

emanuel.costa@sol.pt