Internacional

Obama lamenta não conseguir evitar tragédias com armas

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, manifestou hoje frustração pelas constantes mortes em tiroteios e disse que, sem um compromisso dos legisladores, não pode fazer nada para acabar com aquelas tragédias.

AP Photo/Pablo Martinez Monsivais
EPA/JIM LO SCALZO
EPA/JIM LO SCALZO

"O que posso fazer é garantir que se cumpram as leis que existem e evitar que as armas cheguem aos criminosos (...), mas isso não mudará até que a política mude e também a atitude dos eleitos", afirmou Barack Obama, em conferência de imprensa na Casa Branca.

O Presidente falava um dia depois de um jovem de 26 anos ter matado nove pessoas e provocado ferimento em outras sete num tiroteio na universidade do Estado de Oregon.

"Claro que eu quero politizar a questão, a inação, neste caso, é uma decisão política", criticou o Presidente, que os legisladores não conseguiram fazer passar a "modesta" reforma à lei, após a tragédia de Sandy Hook em dezembro de 2012, quando um jovem matou cerca de 20 crianças.

Após aquela tragédia, a Casa Branca pediu leis com vista a um maior controlo dos antecedentes e problemas mentais de eventuais compradores d armas. As leis preconizadas limitavam ao mesmo tempo a venda de armas de alta capacidade.

A oposição republicana, em maioria, e alguns democratas, assim como algumas empresas, impediram as alterações à lei.

Lusa/SOL