Politica

O 'erro fatal' de António Costa

António Vitorino considerou que a “radicalização” do discurso de António Costa em relação ao Orçamento de Estado contribuiu foi um grande “erro” que contribuiu para a derrota dos socialistas nestas eleições legislativas. “Foi fatal”, acrescentou Miguel Sousa Tavares, que na SIC, começou por sublinhar que “depois de quatro anos tão duros, o PS não conseguiu canalizar o descontentamento popular”.

Para Sousa Tavares, o canalizador desse “descontentamento foi o Bloco de Esquerda”, pois o PS não se “apresentou como alternativa”.

Vitorino admitiu mesmo que a estratégia de campanha eleitoral direcionada para o voto útil “não resultou” e que a situação tem agora de ser analisada.

Também Marques Mendes criticou a tática eleitoral do PS, considerando que António Costa fez uma caça ao voto pouco eficaz: “Tinha um programa económico virado ao centro e fez uma campanha virada à esquerda”, disse, classificando-a de “grande falhanço”.

O social-democrata diz que estes resultados seriam “inimagináveis há seis meses” e aproveita para recordar que nas eleições europeias, o atual líder do PS criticou os resultados do seu antecessor dizendo que eram “uma vitoriazinha” e notou que, agora tudo indica, serão piores.

Apesar de admitir a derrota do PS e a vitória da coligação de Direita, António Vitorino alertou para o facto de os resultados eleitorais revelarem que o pior cenário está a tornar-se realidade: uma “grande estabilidade no país”.

catarina.guerreiro@sol.pt