Economia

BCP avança com fusão do Millennium Angola com Banco Atlântico

O Millennium Angola, detido em 50,1% pelo BCP, e o Banco Privado Atlântico vão avançar com uma fusão das suas operações.

A informação foi avançada pela instituição liderada por Nuno Amado, em comunicado enviado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). A fusão tem como objetivo “obter condições para crescer em contexto adverso” e, simultaneamente, responder às exigências de supervisão.

O BCP diminui a sua exposição a Angola, já que a participação do Millennium bcp na nova entidade deverá situar-se em cerca de 20%.

O memorando de entendimento entre o BCP e o maior acionista do Banco Privado Atlântico, a Global Pactum – Gestão de Ativos, foi assinado hoje.

Da fusão resultará o terceiro maior banco de Angola em ativos e o segundo na concessão de crédito à economia, com uma quota de mercado aproximada de 10%.

“A junção das capacidades complementares do Banco Millennium Angola e do Atlântico potencia oportunidades de crescimento e maximiza a capacidade de criação de valor em Angola”, possibilitando retornos sobre o capital investido na ordem dos 20%, compensando o abrandamento da economia angolana.

O memorando de entendimento prevê para a nova entidade um conselho de administração constituído por 15 membros e uma comissão executiva com sete membros. O BCP vai nomear cinco membros do conselho de administração e dois para a comissão executiva.

O Millennium bcp indicará ainda um dos vice-presidentes do Conselho de Administração, o qual presidirá à Comissão de Riscos ou à Comissão de Auditoria, bem como um dos vice-presidentes da Comissão Executiva.

“Ficaram definidos mecanismos que asseguram um controlo e uma gestão eficazes dos riscos, de acordo com as melhores práticas, nomeadamente atribuindo aos administradores indicados pelo Millennium bcp os pelouros do Risk Office e do Crédito”, acrescenta o comunicado.

Desta operação resulta um impacto positivo estimado de 37 pontos base no rácio de capital common equity tier I.

A operação está ainda sujeita à aprovação em assembleia-geral do Banco Millennium Angola e do Banco Atlântico, bem como das entidades regulamentares e de supervisão.

sandra.a.simões@sol.pt