Internacional

Morreu Jerry S. Parr, o agente que salvou a vida a Regan

Jerry S. Parr, o agente dos serviços secretos norte-americanos que ajudou a salvar a vida ao ex-presidente Ronald Regan, quando este foi alvo de uma tentativa de assassinato, morreu aos 85 anos, informaram hoje os seus familiares.

A mulher do agente, Carolyn Parr, contou ao diário "The Washington Post" que o marido faleceu esta sexta-feira, em Washington, devido a uma insuficiência cardíaca.

Parr encontrava-se ao lado de Reagan, no dia 30 março de 1981, quando um jovem, John Hinckley Jr., disparou contra o presidente à saída do hotel Washington Hilton, na capital norte-americana.

Parr colocou, de imediato, a mão sobre o ombro do presidente, levando-o até à limusina oficial, um veículo à prova de bala.

Apesar de nenhum ferimento de bala ser visível no corpo de Regan, o presidente tinha sangue nos lábios e queixava-se de dores no peito, pelo que Parr ordenou ao motorista que se dirigisse ao hospital mais próximo, em vez de ir para a Casa Branca

"Se Jerry não tivesse mudado [o rumo da viatura ] eu já não tinha marido", disse a então primeira-dama, Nancy Reagan, numa entrevista à CNN, alguns meses mais tarde.

O episódio marcou a vida de Parr, elogiado pelos seus companheiros e pela elite política do país pela sua rapidez, sangue frio e determinação num momento de caos.

Nascido em 1930 em Montgomery (Alabama), Parr cresceu na Flórida e trabalhou numa companhia elétrica antes de se juntar aos serviços secretos, em 1962.

Parr viveu mais onze anos do que o presidente a quem salvou a vida e que morreu em 2004, com a doença de Alzheimer.

Lusa/SOL