Internacional

Avião volta para trás por falta de combustível

Um avião que fazia a ligação entre São Francisco e Hong Kong, na noite de sábado, teve de voltar para trás apenas algumas horas depois de ter descolado, porque não havia combustível para fazer o voo completo. Além do susto, os passageiros sentiram-se ‘abandonados’ e ‘ignorados’ pela companhia aérea.

Segundo a cadeia de televisão ABC, o voo da United Airlines com destino a Hong Kong partiu de São Francisco perto das nove da noite locais. Fez o seu trajeto normal para Norte, até ao Alaska, quando a tripulação detetou falta de combustível. Aparentemente a aeronave estava a gastar mais combustível do que era suposto e os cálculos feitos não permitiam chegar ao destino sem abastecimento.

O avião aterrou de novo em São Francisco perto da uma da manhã e os passageiros ainda tiveram de aguardar uma inspeção para avaliar se haveria uma fuga de combustível.

Os passageiros, muitos deles chineses, ficaram depois frustrados com o tratamento que tiveram da parte da companhia aérea. Segundo a ABC, terão recebido um voucher de apenas 20 dólares para refeições, não tendo onde dormir antes do novo voo, que ficou marcado para a noite de domingo.

Em cima deste problema ainda havia o risco de permanência ilegal no país, podendo vir a ser detidos pelas autoridades norte-americanas. Isto porque vários chineses, que estavam numa visita de grupo aos Estados Unidos, tinham visto para ficar no país só até domingo à noite.

Esta não é a primeira vez que o voo UA869 da United Airlines está envolvido em polémica. Em julho do ano passado todos os 13 tripulantes ficaram assustados e recusaram fazer a viagem, sendo a ligação cancelada. Em causa estava uma estranha mensagem escrita com óleo sujo junto a um dos motores. Segundo foi noticiado na altura, tinha a expressão ‘bye bye’ (‘tchau tchau’) e duas caras, uma sorridente e outra com aspeto ‘diabólico’.

Também em 2011 o mesmo voo foi forçado a uma aterragem de emergência devido a problemas de saúde de um passageiro. O avião estava a fazer a mesma rota pelo Alaska e aterrou em Anchorage, a maior cidade daquele estado norte-americano.

emanuel.costa@sol.pt