Politica

Vice de Passos arrasa Costa

São cada vez mais os sinais de que muito dificilmente a coligação Portugal à Frente (PàF) e o PS conseguirão chegar a um acordo para viabilizar um governo do PSD e do CDS.

Esse foi o sentimento que saiu, aliás, da reunião da Comissão Permanente do PSD ontem. Mesmo ainda antes de se ter realizado a segunda reunião entre a PáF e o PS, desta vez no Largo do Rato.

E um dos ataques mais violentos que já aponta para a rutura iminente entre sociais-democratas, centristas e socialistas partiu de um vice-presidente de Passos Coelho que avisa que o secretário-geral do PS está a preparar um “golpe palaciano”.

“Costa já tem casamento prometido com a esquerda radical. Está tudo fechado. E o resto não passa de encenação”, acusa Carlos Carreiras numa alusão às “conversas doces” com o PCP, o BE e os Verdes.

O presidente da Câmara de Cascais acusa ainda António Costa de ser “um engano permanente”. “É um homem sem estratégia, sem norte e, já não restam dúvidas, sem palavra e sem honra”, reforça no seu artigo publicado hoje no jornal i.

Sem dó nem piedade, Carreiras é implacável com Costa que acusa de ser “desonesto e irresponsável para com os portugueses” e de estar “a dar baile à coligação, a ser manhoso e a utilizar a maior perversão política”.

O vice presidente do PSD já não tem dúvidas. Costa “não quer negociar nada com a coligação. Só quer mesmo ser primeiro-ministro. Porque só sendo primeiro-ministro pode sobreviver politicamente”.