Desporto

Bruno de Carvalho: 'Do Benfica já se espera tudo do que seja mais baixo possível'

Bruno de Carvalho recusou esta quarta-feira que as denúncias públicas sobre os 'brindes' do Benfica a árbitros, assim como os mais recentes ataques ao reino da águia, estejam a contribuir para "incendiar" o dérbi com o maior rival, no dia 25 de outubro. E aproveita a entrevista exclusiva a Bola Branca, na rádio Renascença, para voltar a enviar farpas para os vizinhos da Segunda Circular.

"Para que este dérbi seja o rei da confusão e da poeira, já só falta que o Benfica aproveite estes dias antes do jogo para colocar os tais processos contra o Jorge Jesus. Não me admiraria que a estratégia baixa do Benfica chegasse a esse ponto. Refiro-me aos famosos processos, absolutamente ridículos, contra Jorge Jesus. Vamos verificar, e as pessoas que estejam atentas, se no Benfica vale tudo ou não. Já se tem visto que sim. Do Benfica já se espera tudo, do que seja mais baixo possível. E neste caso, se houver esse processo, do mais ridículo possível", afirmou o presidente do Sporting, que acusa ainda os encarnados de se estarem a fazer de "virgens ofendidas".

"Não é para incendiar, o futebol acontece todos os dias. Não é por isso que se vai parar de falar das coisas importantes e estranhas que acontecem no futebol. [O Benfica] Não deve [fazer-se de 'virgem ofendida'] e está a fazer-se... Não vale a pena ter um discurso de poeira e vitimização", explicou.

O caso das caixas, com uma camisola do Benfica e vouchers de refeição no interior, oferecidas pelos rivais aos árbitros, foi outro dos temas quentes da entrevista. E mereceu um reparo de Bruno de Carvalho à Federação Portuguesa de Futebol.

"A Federação tem a caixa e provas claras. Testemunhos, inclusive de pessoas ligadas ao Benfica. A partir daí tem de tomar uma decisão. Não vamos enganar as pessoas com a Procuradoria-Geral da República, que é outra história e de outro âmbito", sublinhou o líder dos leões aos microfones da Renascença.

hugo.alegre@sol.pt