Cultura

Festa do livro em Óbidos [fotogaleria]

Já arrancou a 1.ª edição do Fólio, o Festival Literário Internacional de Óbidos, que, até 25 de outubro, recebe centenas de convidados, entre escritores, músicos, atores e artistas plásticos. São dez dias cheios de livros, literatura, arte e muita folia, a decorrer em tendas montadas para o efeito e nas muitas livrarias que fazem de Óbidos uma vila literária.

Visitantes do Folio Festival Internacional de Literatura de Óbidos observam livros na Igreja de S. Tiago CARLOS BARROSO/LUSA
Um visitante do Folio Festival Internacional de Literatura de Óbidos consulta um livro na Igreja de S. Tiago CARLOS BARROSO/LUSA
Visitantes numa antiga adega requalificada CARLOS BARROSO/LUSA
CARLOS BARROSO/LUSA
A Igreja de S. Tiago foi, em 2011, transformada numa livraria recheada com 40 mil obras CARLOS BARROSO/LUSA
Os livros no mercado transformado em alfarrabista generalista estão guardados em mil caixas de fruta, colocadas nas paredes do edifício CARLOS BARROSO/LUSA
CARLOS BARROSO/LUSA
CARLOS BARROSO/LUSA
CARLOS BARROSO/LUSA
Livros expostos num quarto de hotel que integra o Folio CARLOS BARROSO/LUSA
Livros expostos numa sala de refeições de um hotel CARLOS BARROSO/LUSA

Com curadoria de José Eduardo Agualusa, o Folio Autores junta dezenas de escritores, portugueses e estrangeiros, com foco na lusofonia, que participam em mesas-redondas que prometem dar que falar e pensar: Mia Couto, Karla Suarez, Rachel Kushner, Reinaldo Moraes, Hélia Correia, Eduardo Lourenço, Javier Cercas, Luís Fernando Veríssimo, Ricardo Araújo Pereira e Nelson Motta são apenas alguns dos que vamos poder ouvir.

Mas este festival não é feito apenas de escritores e literatura. Há música, teatro, cinema, exposições, maratonas de leitura. António Zambujo e Gisela João vão subir ao palco para concertos, Diogo Infante vai representar a Ode Marítima, a companhia João Garcia Miguel vai subir ao palco com Yerma.

Mas porque os livros estão em destaque são muitos os que aquí vai apresentar novas obras: Afonso Cruz, Mia Couto, Gonçalo M. Tavares, Ferreira Fernandes, Tiago Patrício, Gregório Duvivier e Sérgio Rodrigues são alguns deles. E vai haver também aulas dadas por ‘professores’ como António Mega Ferreira (Livro do Desassossego), José Eduardo Agualusa e Mia Couto (Literatura Africana), Clara Ferreira Alves (Eça de Queirós) e Gonçalo M. Tavares (sobre a cegueira), entre outros.

rita.s.freire@sol.pt