Internacional

Jornalista húngara que agrediu refugiado quer processá-lo

A jornalista húngara, que foi filmada a agredir e a pregar rasteiras a mais do que um refugiado, tenciona processar o Facebook e um dos próprios refugiados, que estava a fugir com uma criança ao colo.

Petra Laszlo afirmou ao jornal russo Izvestia que, assim que o julgamento contra ela terminar, tenciona processar o Facebook por não ter eliminado grupos criados na rede social que a ameaçavam e por ter apagado outros que a apoiavam, pode ler-se no Mashable.

A jornalista, que foi despedida após as imagens terem corrido mundo no passado mês de setembro, quer também processar Osama Abdul Mohsen, um dos refugiados sírios que ela própria agrediu. “Ele mudou o seu depoimento, porque inicialmente ele culpou a polícia. O meu marido quer provar a minha inocência. Para ele, é uma questão de honra”, acrescentou Petra. 

 

O incidente ocorreu no passado dia 8 de setembro. A jornalista foi filmada a agredir diversos refugiados, sendo que as imagens mais marcantes são aquelas nas quais se vê Petra a pregar uma rasteira a Mohsen, que estava com o filho ao colo, fazendo com que ambos caíssem. Ainda pediu desculpa pelas suas ações, referindo que o fez apenas por estar com medo.

Na entrevista ao Izvestia, a húngara diz ainda que querer emigrar com a família para a Rússia, por se sentir ameaçada no seu país, mas que só irá tomar uma decisão no final do julgamento contra si.