Economia

Credit Suisse vai despedir 5.000 pessoas

O gigante bancário Credit Suisse anunciou hoje uma mudança radical de estratégia que representará um corte de 5.000 postos de trabalho e uma operação em bolsa para angariar 5,6 mil milhões de euros.

Na sequência deste anúncio, o Credit Suisse viu o preço das ações caírem 4,70% na sessão de hoje da bolsa suíça, quando o índice SMI estava a cair 0,67% a meio da manhã.

Ao anunciar a estratégia do Credit Suisse, o novo presidente executivo Tidjane Thiam, no cargo desde julho, disse que o banco estava "a tomar medidas decisivas para fortalecer o balanço e posição de capital", de forma a que "não seja mais uma fonte de preocupação" dos clientes, investidores ou reguladores.

Tidjane Thiam revelou também que a instituição financeira tem como objetivo encaixar um total de 6,05 mil milhões de francos suíços (5,6 mil milhões de euros) através da venda de ações preferenciais aos acionistas e investidores.

É também sua intenção cortar custos de 3,5 mil milhões de francos suíços até o final de 2018, correspondendo a um despedimento de cerca de 5.000 pessoas em todo o mundo, dos quais 1.600 na Suíça. O Credit Suisse emprega hoje cerca de 60.000 pessoas em todo o planeta.

"A nossa estratégia é de crescimento, uma estratégia de crescimento rentável", disse Tidjane Thiam em comunicado, acrescentando que este caminho "vai criar valor para os clientes, gerar capital, e ao longo do tempo entregar valor aos investidores, clientes e funcionários".

"Estamos reiniciar o banco, estamos a resolver os problemas de capital", disse Tidjane Thiam à Bloomberg Television.

"Um dos nossos objetivos é conseguir capital suficiente para que este não seja novamente um tema de conversa nos resultados trimestrais", disse o presidente executivo do Credit Suisse, contratado há quatro meses para restaurar a confiança dos investidores no banco.

O Credit Suisse, cujas receitas foram atingidas por exigências de capital mais duras e baixas taxas de juro, vai reestruturar três divisões regionais: o Swiss Universal Bank (CHUB), Asia Pacific (APAC) e International Wealth Management (IWM).

O banco anunciou também que pretende fazer uma Oferta Pública Inicial (IPO) para a unidade suíça até o final de 2017.

Como parte da nova estratégia, o Credit Suisse disse que iria dividir a unidade de valores mobiliários numa banca de investimento e numa unidade de mercados de negócios.

O banco também disse que estava a planear a sua saida de Londres para praças financeiras menos caras, como a Índia.

A par do anúncio de uma nova estratégia, o Credit Suisse anunciou resultados trimestrais dececionantes para os analistas. O banco anunciou um lucro líquido no terceiro trimestre de 779 milhões de francos suíços (718 milhões de euros), menos 24%& do que no mesmo período do ano passado, enquanto as receitas caíram 8% para 5,98 mil milhões de francos suíços.

Lusa/SOL