Politica

CDS espera que 'os deputados façam o que tem de ser feito'

Na primeira reação oficial do CDS à indigitação de Passos Coelho, Nuno Melo considerou que Cavaco Silva “fez aquilo que todos os Presidentes da República fizeram nos últimos 40 anos: deu lugar ao representante do partido que mais votos teve nas urnas", e que "optar por quem perdeu é que seria estranho".

O vice-presidente do CDS sublinhou que Cavaco "lembrou e bem a maioria relativa do PS em 2009", em que o PS elegeu 97 deputados e "nem CDS nem PSD inviabilizaram o Governo". 

Para Nuno Melo, o discurso de Cavaco Silva traçou uma linha importante entre os partidos europeístas e outros partidos que rejeitam programaticamente esta linha.

E deixa um aviso: "Espero que os deputados façam o que tem de ser feito na Assembleia, é a única forma de oferecer estabilidade ao país".ara o cargo de primeiro-ministro,

Nuno Melo considerou ainda que este foi um dos discursos mais "importantes, claros e corajosos" de todos os mandatos pelos quais já passou Cavaco Silva.