Politica

Teresa Morais: o rosto do novo Ministério da Cultura e da Igualdade

​Teresa Morais, até agora secretária de Estado da Igualdade e dos Assuntos Parlamentares, é a escolha de Passos Coelho para tutelar um dos novos ministérios do XX Governo, o Ministério da Cultura e da Igualdade.

A cabeça de lista pela coligação Portugal à Frente em Leiria nas eleições de 4 de outubro, tem 56 anos e é jurista e licenciada pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, onde também fez o mestrado e foi doutoranda. Foi docente nesta mesma Universidade e ainda na Universidade Lusíada.

Teresa Morais destacou-se no anterior Governo do PSD e do CDS por várias iniciativas e medidas no âmbito da luta contra a violência doméstica e agora sobe a ministra mantendo a tutela da Igualdade.

Foi advogada entre 1984 e 1987 na Sociedade de advogados Galvão Teles & Associados, assessora jurídica da Presidência do Conselho de Ministros no X Governo liderado por Cavaco Silva, técnica superior do quadro da Secretaria Geral do Ministério da Defesa Nacional desde 2002 e, mais tarde, entre 2005 e 2009, adjunta e assessora do Provedor de Justiça.

Deputada à Assembleia da República entre 2002 e 2005, Teresa Morais integrou as comissões de Defesa Nacional, Assuntos Constitucionais, Direitos Liberdades e Garantias e da comissão eventual para a Reforma do Sistema Político. Foi presidente da subcomissão parlamentar de Justiça e Assuntos Prisionais (2002-2005) e foi membro do grupo de trabalho para a revisão do regime jurídico da adoção.

Na legislatura de 2009-2011, foi vice-presidente do grupo parlamentar do PSD e coordenadora das áreas da Justiça e da Igualdade, e membro da comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos Liberdades e Garantias e das comissões eventuais de acompanhamento da Corrupção e para a Revisão Constitucional. Foi presidente da subcomissão de Igualdade, membro do Conselho de Fiscalização dos Serviços de Informações e da Comissão Fiscalizadora dos Centros Educativos.

sofia.rainho@sol.pt