Sociedade

Aluno que empunhou arma em colégio de Coimbra sofre de depressão

O aluno de 14 anos que ameaçou hoje com uma arma uma professora e o diretor de um colégio no concelho de Coimbra andava a ser seguido numa consulta de pedopsiquiatria, revelou o estabelecimento de ensino.


António Franco, diretor do Colégio da Imaculada Conceição, em Cernache, a sul de Coimbra, disse à agência Lusa que o jovem, a frequentar o oitavo ano pela segunda vez, sofre atualmente de uma depressão e estava a ser acompanhado por médicos do Hospital Pediátrico de Coimbra.

"Nunca tive a sensação de que ele queria alvejar alguém", adiantou António Franco, admitindo que a escola estava a par do problema de saúde do aluno, órfão de mãe, e que por isso "já o tinha debaixo de olho", apesar de não o associar a eventuais comportamentos violentos.

Cerca das 09h00, após ter "pintado a cara como um palhaço", com tintas e outros materiais depois encontrados nos sanitários, o rapaz entrou na sala de aula e, empunhando um revolver com munições, tentou falar de diversos assuntos "com uma série de pessoas", entre estudantes e professores.

"Estava completamente descompensado e tinha um discurso sem nexo", contou o diretor do colégio, suspeitando que aluno terá levado a arma de fogo de casa.

O comandante do Destacamento Territorial de Coimbra da GNR, capitão Campos, também admitiu à Lusa que a arma estava legalizada e guardada na residência da família, decorrendo ainda as investigações para confirmar estas e outras informações.

O capitão Campos disse à agência Lusa que, ao fim da tarde, o jovem ainda estava com médicos do Hospital Pediátrico de Coimbra, onde "deverá ficar internado" até poder ser apresentado a um magistrado do Ministério Público.

Lusa/SOL

Os comentários estão desactivados.