Economia

Nunca a Jaguar Land Rover vendeu tantos carros

Há uma marca de automóveis de gama alta que está de volta ao fulgor de outros tempos. A Jaguar Land Rover vendeu mais de 41.500 carros em outubro, mais 24% do que no mesmo mês do ano anterior e um número que nunca tinha atingido. Nem as perdas na China, na Rússia ou no Brasil prejudicaram as vendas.

O XE representou quase metade das vendas da Jaguar em outubro
O Land Rover Discovery Sport ajudou a marca a crescer na América do Norte

Em outubro saíram para os concessionários da Jaguar Land Rover 41.553 veículos, o que dá um total de 390.965 em dez meses deste ano. E se a subida homóloga nesse período foi de apenas 2%, no mês passado, face a outubro de 2014, foi de 24%, atingindo o grupo britânico um recorde histórico.

Dentro destes números, o peso da Land Rover é bastante maior, tendo a marca de veículos todo o terreno representado 34.086 unidades em outubro e 323.353 desde janeiro. Segundo um comunicado da marca britânica, controlada desde 2008 pelos indianos da gigante Tata, o novo Land Rover Discovery Sport e os Range Rover e Range Rover Sport foram os principais responsáveis pela subida de 21%.

Já na Jaguar, o novo modelo XE, que faz a entrada na gama da marca desportiva de luxo, representou quase metade dos 7.467 automóveis vendidos em outubro. Desde o início do ano foram 67.612, mas esse modelo só foi posto à venda no verão.

E apesar de ter chegado já ao mercado chinês, o modelo de tamanho médio só entra nos concessionários dos Estados Unidos no próximo ano, o que ainda deve aumentar mais o negócio. Por outro lado, se a Jaguar subiu as vendas 39% no mês passado, apresenta uma quebra de 1% desde janeiro.

A razão para essa descida está muito ligada com a tragédia de Tianjin, na China. As explosões em agosto naquela importante cidade portuária do país asiático levaram a marca a perder 5.800 veículos novos, prontos a entregar a clientes. Ficaram totalmente destruídos, reduzidos à estrutura metálica base, no seguimento das explosões e incêndios que vitimaram ainda perto de 200 pessoas.

Em função dessa tragédia humana e económica, a Jaguar Land Rover teve de suportar custos de quase 344 milhões de euros só na China, apresentando esta semana prejuízos de 220 milhões no terceiro trimestre do ano, entre julho e setembro.

Se ainda não há razões para sorrir na China, que apresentou um crescimento de ‘apenas’ 9% nas vendas em outubro para a Jaguar Land Rover – acompanhado das descidas das vendas na Rússia e no Brasil – o mesmo não acontece nos EUA e no Velho Continente. Na América do Norte a Jaguar Land Rover vendeu mais 74% de carros; na Europa em geral subiu 24% (em linha com a média global) e no mercado ‘caseiro’ do Reino Unido as entregas de carros subiram 40%.

emanuel.costa@sol.pt