Cultura

Peça de Tennessee Williams sobe ao palco no S. Luiz

A peça "Jardim zoológico de cristal", de Tennessee Williams, vai estar no Teatro S. Luiz, em Lisboa, a partir de hoje, numa encenação de Sandra Faleiro, que destaca a atualidade do drama vindo da Grande Depressão.


A encenadora, em declarações à Lusa, disse que trabalhou a peça na estética na década de 1930, nos Estados Unidos, num período de depressão económica, mas realçou que a peça "é muito atual".

"Estamos numa época de grande depressão. Não há esperança e temos medo do amanhã, tal como as personagens", disse Faleiro. "Todas as personagens estão com uma espada sobre a cabeça, tal como nós nos sentimos atualmente", disse a encenadora que referiu existir na peça "um certo ambiente claustrofóbico".

A trama dramática da peça gira em torno da personagem de Tom Wingfield, poeta e narrador, que revive os tempos da sua juventude e se refugia na bebida, no cinema e na literatura, para conseguir suportar o trabalho num armazém de sapatos, com o qual sustenta a mãe, Amanda, e a irmã, Laura. O pai há muito abandonou a casa, e a mãe desespera-se quanto ao futuro da filha, que é tímida, coxeia e que se refugia na coleção de pequenos animais de cristal - o jardim zoológico do título.

Amanda olha para o casamento de Laura como uma solução e convence o filho a apresentá-la a um colega, Jim O'Connor, que convida para jantar. Mas, como a mãe afirma ao longo da peça, há sempre muitas maneiras de tudo correr mal.

O elenco é constituído por Cucha Carvalheiro, Inês Pereira, João Vicente e Pedro Lacerda. A produção da peça é do S. Luiz, com a Causas Comuns, estrutura de produção teatral fundada em 2004, sob a direcção de Cristina Carvalhal.

"Jardim zoológico de cristal" fica em cena até ao próximo dia 22.

Lusa/SOL