Sociedade

PSD: Câmaras comunistas usaram autocarros municipais para protesto da CGTP

O PSD de Évora acusou hoje as câmaras de Montemor-o-Novo, Vila Viçosa e Évora de não terem "ética nem vergonha" por alegadamente terem cedido transporte escolar e municipal para levar funcionários à manifestação da CGTP, em Lisboa.

 


Em comunicado, a comissão política distrital de Évora do PSD afirma terem sido divulgadas "provas de que o transporte escolar das crianças de Montemor-o-Novo" e "os autocarros das câmaras de Vila Viçosa e de Évora", concelhos liderados pela CDU, "foram desviados" para deslocar os funcionários autárquicos até Lisboa, para a manifestação da CGTP, na terça-feira.

O PSD/Évora disse repudiar "o desprezo das autarquias CDU pela população escolar e pais, quebrando o compromisso assumido com o Governo de garantir aos mesmos as condições de acesso à escola pública".

Além disso, considerou "inaceitável" o uso de "meios de transporte públicos para fins claramente partidários e políticos", quando os mesmos são, "tantas vezes, dificultados" a outras entidades locais "para o desenvolvimento das suas atividades quotidianas, invocando limitações orçamentais e humanas".

Acusando estas autarquias CDU do Alentejo de não terem "ética nem vergonha", a estrutura social-democrata condenou também o que considera ser "o sectarismo político e ideológico" dos três municípios.

Estas autarquias, criticou, apoiaram manifestações "contra o Governo que salvou Portugal do descalabro financeiro" e "em benefício de uma força política (PS) que saiu derrotada das eleições legislativas e que voltará a conduzir o país à solução de descalabro financeiro".

Em comunicado enviado à agência Lusa, na quarta-feira, a Câmara de Montemor-o-Novo negou o desvio de transportes escolares para o protesto da CGTP, considerando "falsas as notícias" nesse sentido.

O município esclareceu que "foram cedidas pela câmara municipal duas viaturas para o transporte de trabalhadores, as quais não fazem parte da frota de transportes escolares".

As eventuais perturbações ao normal funcionamento dos transportes escolares, apenas de tarde, referiu, "ficaram a dever-se à participação voluntária de trabalhadores na ação de luta da CGTP".

Já o presidente da Câmara de Vila Viçosa, Manuel Condenado, afirmou à Lusa que "o executivo cedeu e continuará a ceder viaturas do município, sempre que estejam disponíveis, à estrutura sindical dos trabalhadores" para que estes se desloquem "a manifestações ou outras iniciativas a fim de defenderem os seus direitos laborais".

O vereador da oposição nesta autarquia, Inácio Esperança (eleito pelo Movimento de Unidade do Concelho), considerou "escandaloso" que um autocarro tenha alegadamente sido cedido, de forma gratuita, para transportar os funcionários municipais.

O deputado do PSD Duarte Marques já questionou a Câmara de Montemor-o-Novo e a ministra da Educação e Ciência sobre a alegada utilização de transporte escolar para levar os trabalhadores da autarquia à ação de luta da CGTP.

Lusa/SOL