Internacional

Milhares de pessoas abandonaram a Igreja Mórmon num só dia

No sábado, milhares de pessoas assinaram nos Estados Unidos cartas a renunciar à Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, mais conhecidos como mórmons. Em causa está a decisão de proibir o batismo a crianças de casais do mesmo sexo.

O maior templo mórmon do mundo encontra-se em Salt Lake City, nos Estados Unidos
No estado do Utah, cuja capital é Salt Lake City, 60% dos habitantes são mórmons

O epicentro das resignações foi Salt Lake City, no estado americano do Utah, onde pelas redes sociais foi sendo divulgado um pedido de concentração de fiéis no sábado, para procederem a uma renúncia pública.

O encontro – organizado na praça junto ao maior templo mórmon do mundo – ultrapassou todas as expetativas e pelo menos 1.500 pessoas juntaram-se para assinar e entregar a carta de afastamento.

Há ainda informações na imprensa norte-americana sobre o envio de cartas de resignação por email a advogados que ajudaram ao processo, com números a variar entre os 1.000 e os 2.000. Assim, num só dia mais 3.500 pessoas terão abandonado a crença mórmon.

A razão para esta saída de fiéis em massa está nas novas diretrizes impostas pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Os líderes mórmons aprovaram este mês uma resolução que proíbe o batismo de crianças filhas de casais do mesmo sexo. De fora, livres de consequências, ficam apenas as crianças nessa situação já batizadas.

Para poderem ser batizadas, essas crianças têm de atingir os 18 anos, deixar a casa dos pais e condenar o casamento homossexual ou a coabitação de pessoas do mesmo sexo.

Na sexta-feira, os líderes da Igreja Mórmon clarificaram que apenas as crianças cuja residência principal é com casais do mesmo sexo seriam afetadas, mas o ‘comboio’ das renúncias de fiéis já estava em marcha.

Apesar de os mórmons terem garantido já este ano que prometem cumprir as leis de proteção de gays e lésbicas, nomeadamente em termos de discriminação laboral e de alojamento, este é um exemplo do contrário.

No estado do Utah, que tem cerca de 2,9 milhões de habitantes, os mórmons representam quase 60% da população. Ainda assim, desde Dezembro de 2013 que os casamentos de pessoas do mesmo sexo foram legalizados.

Existem mais de 15 milhões de mórmons em todo o mundo, seis milhões só nos Estados Unidos. Em evangelização, um pouco por todo o mundo, há mais de 85 mil pessoas.

Em Portugal, o site oficial da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias indica que a confissão tem perto de 41 mil membros. Dentro de três semanas, a 5 de dezembro, vai ser lançada a construção do primeiro templo mórmon em Portugal, no Parque das Nações, em Lisboa. Será o 14º na Europa.

emanuel.costa@sol.pt