Tecnologia

Nasce hoje uma nova marca de telemóveis e é portuguesa

A IKI Mobile, marca de telemóveis portuguesa que hoje é lançada em Portugal, pretende ter uma fábrica próxima de Lisboa até 2018 e já iniciou conversações com as autoridades locais, disse à Lusa o presidente executivo, Tito Cardoso.

 

A marca portuguesa vai começar a vender os seus 'smartphones' [telemóveis inteligentes], que atualmente são fabricados na China, hoje, mas admite vir a ter uma fábrica no mercado português.

"A fábrica que queremos construir será muito mecanizada", afirmou Tito Cardoso, salientando que a empresa conhece "muito bem a forma de trabalhar na China" e a aposta numa unidade fabril em Portugal é uma evolução natural do negócio.

"A fábrica será construída até 2018, temos tudo estudado", afirmou o gestor, que não avançou o investimento para esta unidade nem a localização.

"Estamos numa fase adiantada para uma unidade industrial em Portugal próximo de Lisboa", avançou, explicando que um "fator decisivo" é a existência do aeroporto internacional, já que a IKI Mobile pretende exportar a maior parte da sua produção.

Questionado sobre se já iniciou contactos com as autoridades locais, Tito Cardoso respondeu afirmativamente.

"Temos a certeza de que o produto [fabricado na futura unidade portuguesa] será mais competitivo", salientou.

A IKI Mobile pertence à consultora Univercosmos, do grupo FF, com capitais portugueses e angolanos.

Até à data, a IKI Mobile já investiu 4,9 milhões de euros e espera atingir o 'break-even' [retorno do capital investido] "em março de 2017", incluindo o que for investido nos próximos tempos.

Tito Cardoso adiantou que em 'marketing' e publicidade a marca vai investir 290 mil euros até final do ano, esperando vender 10.000 produtos neste período, numa faturação estimada de 1,2 milhões de euros.

Além de vender os telemóveis inteligentes IKI Mobile em Portugal, Tito Cardoso quer marcar presença no mundo árabe, em mercados como Emirados Árabes Unidos, Irão ou Arábia Saudita, cujos produtos serão comercializados via Dubai.

Em África, mercados como a Costa do Marfim e a Nigéria são algumas das apostas da IKI Mobile, que aponta também a América Latina como um dos destinos do seu negócio.

"Também vamos querer entrar no Brasil, a nossa plataforma 'online' vai começar a comercializar para lá a partir de dezembro", disse.

A partir das 17:00 de hoje, os produtos da IKI Mobile vão estar à venda através da sua página de comércio eletrónico.

Lusa/SOL