Desporto

Em Wembley hoje todos serão franceses

A seleção francesa desloca-se hoje a Wembley, num amigável contra a selecção inglesa. E o caráter amigável nunca teve um significado tão forte. Os britânicos têm-se multiplicado em manifestações de solidariedade e os jornais desportivos de hoje encheram-se com as cores da bandeira francesa e de palavras de apoio. No estádio, a Marselhesa vai cantar-se a uma só voz.

Matt Dunham/AP

“Esta noite vamos mostrar aos terroristas que o mundo está erguido contra eles”. Estas são palavras do capitão da seleção inglesa, Wayne Rooney, destacadas na secção de desporto do Daily Mail. Também o Star Sport faz uma declaração de resistência e destaca a mensagem de Rooney. A secção de desporto do Mirror está ocupada na totalidade com a letra do hino francês com a bandeira de França em fundo. O The Sun puxa também para a primeira página do desporto a letra da Marselhesa e escreve ‘Viva o Futebol’ em francês [ver fotogaleria].

Os placards eletrónicos do estádio vão também projetar a letra do hino francês, para que todos os que estiverem presentes possam cantá-lo. “Desafio todos os adeptos que cantem o hino francês. Sei que não será fácil, mas há que tentar”, disse o selecionador inglês, Roy Hodgson.

O primeiro-ministro britânico e o Príncipe William já anunciaram que vão assistir ao jogo. Questionado pela BBC, se não teria qualquer problema em levar os seus filhos ao jogo, David Cameron respondeu: "Sim, levaria. É muito importante que continuemos com as nossas vidas."

Também o presidente do município de Londres, Boris Johnson, vai marcar presença em Wembley. Não existe "melhor resposta a esta ideologia de ódio do que continuar com as nossas vidas, os nossos amores e as nossas paixões", disse na segunda-feira. "O futebol é uma paixão e é absolutamente acertado que a partida de amanhã [esta terça-feira] seja disputada e que os adeptos ingleses se possam unir aos seus primos franceses em solidariedade e comemoração para desfrutar do melhor futebol internacional”.

As mais altas figuras da sociedade britânica estão determinadas em mostrar que não existe risco e que não vão ceder perante o medo após os atentados em Paris. Ainda assim, a polícia de Londres prometeu uma presença em peso no emblemático estádio da cidade e, ao contrário do que é habitual nas forças policiais inglesas, os agentes estarão armados.

Por outro lado, na Bélgica foi cancelada a partida que iria opor hoje a seleção belga à espanhola, já que “há uma ameaça credível e potencialmente iminente”, como anunciou o porta-voz do Governo belga, Frédéric Cauderlier.

andreia.coelho@sol.pt