Politica

Quando Sócrates era primeiro-ministro, já Santos Silva lhe pagava contas

José Sócrates defendeu desde o primeiro dia que as avultadas quantias que recebia de Carlos Santos Silva eram empréstimos e adiantou que os mesmos lhe foram concedidos num período de grandes dificuldades económicas. Mas há um detalhe que o Ministério Público (MP) acredita ser determinante para deitar por terra essa tese: já quando Sócrates era primeiro-ministro  – e, portanto,  não teria dificuldades – as suas férias eram pagas com dinheiro das contas do empresário de Leiria.


Segundo o SOL apurou, Nazaré Soares, a funcionária da Top Atlântico que fazia as marcações e faturava as férias de José Sócrates, terá revelado ao procurador Rosário Teixeira detalhes sobre as viagens de passagens de ano e verão dos anos de 2008 e 2009.

Explicou ao pormenor o esquema que lhe era pedido pelo gabinete do primeiro-ministro em muitas das viagens. As faturas originais eram emitidas em nome de Sócrates, sendo depois anuladas – um procedimento a que a agência chamava «devolução». Procedia-se então à emissão de uma nova fatura, sobre os mesmos serviços, mas em nome de Carlos Santos Silva, que pagava o valor em causa, com cheques fracionados.

E ao que o SOL_apurou, foram recolhidos nas buscas documentos que sustentam esta versão de Nazaré e completam as informações já existentes sobre férias mais recentes, como as de Formentera, em 2014.

Leia este artigo na íntegra na edição em papel do SOL. Já nas bancas

carlos.santos@sol.pt