Internacional

Síria: Um dos pilotos russos morreu, o outro está desaparecido

Um dos pilotos do SU-24 russo abatido hoje pela Turquia e que se despenhou no extremo noroeste da Síria morreu e o outro está desaparecido, segundo rebeldes e militantes da oposição síria citados pela agência France Presse.

O primeiro piloto foi morto a tiro por forças da oposição quando aterrava, depois de se ejetar.

A agência refere que vários vídeos colocados na internet mostram o piloto morto rodeado de rebeldes de diferentes grupos sírios.

A Turquia anunciou hoje que dois dos seus caça-bombardeiros F-16 abateram um SU-24 russo que violou o espaço aéreo turco dez vezes num período de cinco minutos ao longo da fronteira com a Síria, ignorando todas as advertências.

Os 'media' turcos noticiaram inicialmente que os dois pilotos se ejetaram do aparelho e aterraram de paraquedas e que um deles tinha sido capturado por forças rebeldes sírias.

O avião russo explodiu no ar e despenhou-se numa montanha do lado sírio da fronteira, segundo imagens da televisão turca.

A Rússia confirmou que um dos seus aviões foi abatido quando voava a 6.000 metros de altitude, "provavelmente em resultado de disparos a partir do solo", disse fonte do Ministério da Defesa citada pelas agências russas.

O incidente "é muito grave", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, remetendo outros comentários para quando forem esclarecidas todas as circunstâncias.

"É um facto muito grave, mas sem ter informação plena, é impossível e seria incorreto dizer alguma coisa", disse Peskov à imprensa russa.

A NATO anunciou para as 17:00 locais (16:00 TMG e Lisboa) uma reunião extraordinária do Conselho do Atlântico Norte, órgão que reúne os 28 embaixadores dos países membros da Aliança.

Lusa/SOL