Sociedade

Pesca ilegal: GNR apreende meixão no rio Tejo

Dez redes de pesca utilizadas normalmente em rios, conhecidas por botirões, para capturar meixão – enguia bebé que atinge entre 200 e 300 euros por quilo no mercado ilegal –; 90 para pescar enguia adulta e 20 artefactos para fundamento das redes. É este o saldo de uma operação concertada entre o Serviço de Proteção da Natureza e Ambiente (SEPNA) dos comandos territoriais de Santarém e de Lisboa da GNR. 

A operação, desenvolvida ontem no rio Tejo entre a ponte Marechal Carmona, em Vila Franca de Xira, e Valada, no limite geográfico entre Lisboa e Santarém, permitiu ainda recuperar “algum pescado que, por se encontrar vivo, foi devolvido ao seu habitat natural”, o rio Tejo, explicou a GNR em comunicado.

Durante a fiscalização, os militares do SEPNA apreenderam ainda uma embarcação e passaram duas multas, uma pelo exercício de pesca profissional sem licença e outra pela falta de colete salva vidas.

Ao Sol, o responsável do SEPNA, Ricardo Alves, explicou que esta foi uma ação concertada que envolveu 37 militares do SEPNA, da Unidade de Controlo Costeiro e do Grupo de Intervenção Proteção e Socorro da Unidade de Intervenção. Porém, salientou, o “patrulhamento do Rio Tejo é realizado duas a três vezes por semana, durante o ano inteiro”.

sonia.balasteiro@sol.pt