Internacional

Divulgada na íntegra a primeira entrevista aos Eagles of Death Metal após os ataques [vídeo]

Os membros da banda que atuava no Bataclan quando a sala foi invadida por terroristas não conseguem conter a emoção quando recordam tudo o que se passou na noite fatídica da passada sexta-feira 13. A Vice, a revista a quem deram a primeira entrevista após os atentados, divulgou na íntegra a conversa com o vocalista e com o baterista, na qual os músicos relatam os detalhes dos momentos de absoluto terror vividos pelos músicos e pelos espetadores.

Divulgada na íntegra a primeira entrevista aos Eagles of Death Metal após os ataques [vídeo]

Jesse Hughes e Julian Dorio contam que estiveram cara a cara com os homens que mataram 89 fãs seus recordam o responsável pelo merchadising da banda, o britânico Nick Alexander, que “sangrou” em silêncio para proteger os que estavam à sua volta.

Hughes, o vocalista, descreveu a sua fuga da sala e os momentos em que correu pelas traseiras do Bataclan à procura da sua namorada até chegar à rua. “Não a via junto ao palco, por isso corri para o camarim e abri a porta – não estava lá. Abri uma porta do corredor e foi quando vi um dos atiradores à minha frente. Ele baixou a arma para tentar disparar mas o cano bateu na ombreira da porta e eu consegui fugir. Foi quando me virei para poder avisar as pessoas que vinham atrás de mim. Só repetia ‘não, não, não, não, não venham por aqui!’ e começámos todos a descer até que vimos uma saída. Nesse momento ainda não tinha encontrado a Tuesday [namorada]”. Os dois acabaram por reencontrar-se já na rua onde foram para uma esquadra com dezenas de outros espetadores perturbados e muitos feridos, alguns deles cobertos de sangue pelos ferimentos de bala.

Já o baterista descreve como se escondeu atrás da bateria e rastejou pelo palco. “Os primeiros tiros foram tão fortes que eu percebi imediatamente que alguma coisa estava errada. Saí logo da bateria. Virei-me, espreitei através da bateria por cima de um aplificador… e vi dois homens à frente… estavam a disparar incessantemente sobre o público”, recorda Dorio. “Foi quando comecei a rastejar, com o queixo ao nível do chão, atravessei o palco sempre atrás de todos os instrumentos e consegui chegar ao outro lado do palco… levantei-me e corri atrás das outras pessoas”. Dorio conseguiu alcançar uma saída e saiu ileso do ataque.

O baixista, Matt McJunkins, escondeu-se numa sala nos bastidores com vários espetadores amontoados enquanto ouviam a chacina que continuava na sala.

No teaser da entrevista revelado na semana passada, Hughes contava como muitos morreram por se recusarem a deixar os amigos para trás e como os fãs que se esconderam no camarim da banda não conseguiram escapar da morte, à excepção de um jovem que se escondeu por baixo do casaco de pele do vocalista.

 
Os comentários estão desactivados.