Vida

O verdadeiro carro de James Bond

Como grande parte das grandes descobertas da história automóvel dos últimos ano, foi numa garagem, onde estava guardado há quase 40 anos, que reapareceu um carro com ligações a Ian Fleming – criador de James Bond –, aos seus livros e a uma das personagens mais importantes. O Bentley R-Type Continental Fastback precisa de um restauro profundo, mas isso não impede um stand especializado de pedir por ele 1,4 milhões de euros.

O Bentley R-Type Continental junto à garagem onde foi encontrado
Em 1953, era o carro de quatro lugares mais rápido do mundo
Esteve quase 40 anos a acumular pó e isso nota-se no seu estado atual
Tem volante à esquerda, uma raridade num modelo britânico antigo de luxo

A Gullwing Motor Cars pede esse dinheiro todo, 1,495 milhões de dólares, porque acredita que este “é o Bentley do pós-Segunda Guerra Mundial mais importante a ser descoberto”, tendo conseguido comprovar a autenticidade do mesmo.

Mas vamos por partes, onde está a ligação a James Bond concretamente? Ian Fleming, o autor dos famosos livros – já se sabe que era um fã da Bentley, apesar de a Aston Martin quase sempre ter conseguido associar os seus carros depois aos filmes de 007 – encomendou o R-Type Continental em 1953. Era o carro de quatro lugares mais rápido do planeta e Fleming escolheu uma pintura em cinzento escuro e interiores de pele preta. Um automóvel exatamente igual ao que James Bond usa no livro Thunderball, de 1961.

Depois há a questão do ‘dono’. Fleming comprou o carro, raro também por ter volante do lado esquerdo, para oferecer a um dos seus melhores amigos, Ivar Felix Bryce. Sim, Felix, o nome escolhido para o amigo agente da CIA que ocasionalmente se encontra com Bond, Felix Leiter. Na realidade Ivar Bryce trabalhou mesmo para os serviços secretos, mas os britânicos.

O Bentley R-Type Continental foi encontrado a acumular pó numa garagem de Hancock Park, uma urbanização de luxo no meio de Los Angeles. Ivar Bryce tinha transportado o carro à medida que mudava de cidade ou de país, até que o mesmo foi vendido várias vezes e acabou nas mãos de um cirurgião de Beverly Hills, em 1978. Foi guardado na sua garagem pouco depois, até muito recentemente.

A Gullwing Motor Cars pede quase 1,5 milhões de dólares pelo carro apenas devido ao seu valor histórico e ligação a James Bond. É que segundo o site Autoblog, o carro vale muito dinheiro, mas longe desse número. A empresa de avaliações Hagerty fixa o preço de um carro daquele modelo, em perfeitas condições, nos 1,4 milhões de dólares (1,32 milhões de euros) e dois bons exemplares foram vendidos nos últimos anos em leilão por muito menos do que isso. Um rendeu 1,13 milhões de euros e o outro menos de 800 mil euros.

emanuel.costa@sol.pt