Sociedade

Suspeitos da morte de ex-deputado do CDS indiciados por homicídio e roubo

O homem e a mulher suspeitos da morte do ex-deputado do CDS-PP/Madeira Carlos Morgado, cujo corpo foi encontrado enterrado num terreno, no Funchal, estão indiciados por homicídio, roubo e profanação de cadáver, indicou hoje a Polícia Judiciária (PJ).

"As investigações tiveram por base uma denúncia por desaparecimento de um homem, de 66 anos, ocorrida no dia 01 de março deste ano, na cidade do Funchal. Apurou-se, graças a um minucioso trabalho de investigação, que os autores do crime conceberam um plano para atraírem a vítima com o intuito de a roubarem e de, posteriormente, lhe provocarem a morte", refere a PJ, em comunicado.

Anteriormente, fonte policial tinha adiantado à agência Lusa que o crime teria "ocorrido no contexto de um roubo". O corpo da vítima foi encontrado na quinta-feira num terreno baldio, na freguesia do Imaculado Coração de Maria, localizado junto a residências na periferia do Funchal.

Outra fonte policial disse à Lusa que o crime terá ocorrido numa residencial no centro do Funchal.

O corpo foi encontrado num terreno baldio onde existe uma vala minúscula com cerca de um metro, com cimento e pedra (tipo laje) à volta, sendo visíveis vestígios de saco de plástico preto com mau cheiro e roupa em decomposição, constatou a Lusa no local.

Os moradores na zona recusaram comentar a situação, tendo uma residente apenas referido que a vizinhança nunca se apercebeu de nada e só ouviu "um rebuliço" na quinta-feira.

"No decurso dos trabalhos de investigação foi possível localizar os restos mortais da vítima, que foram entregues ao Instituto Nacional de Medicina Legal para exames periciais", acrescenta o comunicado da PJ.

Os detidos vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial para eventual aplicação de medidas de coação.

Carlos Morgado estava dado oficialmente como desaparecido desde 01 de março deste ano. O seu carro foi encontrado estacionado junto de uma das grandes superfícies comerciais do Funchal.

O antigo parlamentar centrista, que era professor aposentado, residia na Ribeira Brava, concelho a oeste do Funchal.

Carlos Morgado ocupou o lugar de deputado na Assembleia Legislativa da Madeira em substituição de José Manuel Rodrigues - quando este foi eleito para a Assembleia da República -, passando a independente antes de deixar o parlamento, no final de 2012.

Lusa/SOL