Opiniao

Primeira fratura na coligação de esquerda: as portagens

Segundo o que li no “Diário de Notícias”, que cita a Lusa, o novo ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, afirmou que “não está em cima de mesa” a abolição de portagens nas ex-Scut, isto no mesmo dia em que está previsto PCP e BE apresentarem no parlamento propostas para a abolição dessas mesmas portagens.

Isto ilustra bem a diferença entre estar no governo, que é o caso do PS, em que todos os tostões contam para não desequilibrar ainda mais a situação financeira do país, e as posições do BE e do PCP, para quem o ministro das finanças domina as artes ocultas, pelo que o dinheiro para tudo surge sempre sem limitações.

Se as propostas do PCP e do BE chegarem a ser votadas, isso coloca um dilema curioso: como votará a direita? PSD e CDS, que tiveram a coragem de introduzir as portagens nas ex-Scut, não vão agora votar a favor do fim das mesmas. Por outro lado, não devem querer votar ao lado do PS. Talvez se abstenham, o que fará que as propostas do PCP e do PCP chumbem, mas que dará a ideia de PSD e CDS não terem coragem política para defenderem a sua obra.

Enfim, veremos.