Sociedade

Magistrados reagem a Sócrates: ‘Não há arguidos ex-primeiro-ministros’

“Não há ‘arguidos ex-primeiros-ministros’, nem ‘arguidos cidadãos comuns’”, salienta António Ventinhas, presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público, em reação às acusações feitas ontem por José Sócrates.


Na entrevista à TVI, o ex-primeiro-ministro queixou-se de o Ministério Público já ter ultrapassado os prazos legais de investigação na Operação Marquês e de lhe mover “uma campanha de denegrimento” e “ódio pessoal”, além de ter “tentado atemorizar” e a sua família e amigos.

“O Ministério Público não é nenhuma associação criminosa nem organização terrorista. É o titular da ação penal e tem como único objetivo investigar crimes. Não tem objetivos pessoais nem pretende atingir um partido, pretende apenas atingir a verdade dos factos”, comenta António Ventinhas . E acrescenta: “Se fosse uma questão de ódio pessoal, teríamos de perceber em que se baseia e como pode ser comum a muitas pessoas – um inspetor tributário, um procurador da República, um juiz de instrução e dezenas de juízes desembargadores do Tribunal da Relação que já analisaram recursos e se pronunciaram sobre o caso –, o que não parece fazer muito sentido”.

paula.azevedo@sol.pt

Os comentários estão desactivados.