Economia

Sindicatos da Função Pública contra solução de Costa para o Banif

A Frente Comum dos Sindicatos da Função Pública está contra a solução do Governo para o caso do Banif.

Em comunicado, a organização sindical lamenta que António Costa tenha optado por uma solução “que vai no sentido de, mais uma vez, acorrer e salvar a banca, injetando milhares de euros em prejuízo das medidas realmente necessárias: a valorização dos salários, o descongelamento das progressões nas carreiras, o fim da proibição da contratação de trabalhadores para a Administração Pública”.

Os trabalhadores temem que a decisão agora tomada de injetar dinheiro no Banif – num montante que pode vir a atingir os três mil milhões de euros – ponha em causa medidas já prometidas por Costa e avisa que vai lutar para que isso não aconteça.

“A Frente Comum não aceita que sejam os trabalhadores a pagar os erros do passado e quaisquer políticas comprometedoras do futuro”, avisam os sindicalistas anunciando que “lutarão contra quaisquer pretextos que sirvam para manter cortes salariais, a não progressão das carreiras e a manutenção das medidas do anterior Governo para a Administração Pública”.

A Frente Comum faz as contas ao que Estado já gastou com o Banif, lamentando que os cortes fiquem reservados aos serviços públicos, com consequências para os seus utentes.

“Depois de, em 2013 ter injetado 850 milhões de euros, o Estado ainda injetou mais 2,2 milhões de euros no Banif. Chegados ao final do ano, o Banif é vendido por apenas 150 milhões de euros e a solução encontrada pelo Governo exige 3 mil milhões de fundos públicos”, resume a estrutura sindical, concluindo que “o encerramento de serviços, a falta de pessoal, os cortes salariais contínuos são a face visível da tentativa de destruição da Administração Pública”.

margarida.davim@sol.pt