Sociedade

Só 10% das portagens aumentam no próximo ano

No resto dos troços, os valores não mexem. Palavra de governo.

As portagens vão ficar mais caras, no próximo ano, mas apenas em cinco cêntimos e num aumento que se vai refletir em 10% das auto-estradas. Não mais.

A garantia deixada ontem pelo Ministério do Planeamento e das Infraestruturas é a de que 90% dos troços portajados em todo o país não sofrem qualquer aumento no próximo ano. “A atualização abrange apenas 10% dos troços das autoestradas portajadas e será de 0,05 euros”, avançou o governo em comunicado. “As taxas dos restantes troços mantêm-se inalteradas”, esclarece o ministério de Pedro Marques.

As alterações – cirúrgicas – entram em vigor, como manda a regra, no início do próximo ano.

Quanto às travessias do Tejo, as novidades são ligeiramente diferentes. “Nas pontes 25 de Abril e Vasco da Gama, a atualização varia entre os 0,05 euros (classe 1, em ambas as pontes) e os 0,15 euros (classe 4, na ponte Vasco da Gama)”, antecipa o Ministério do Planeamento e das Infraestruturas sobre estes troços concessionados à Lusoponte.

Já no que toca às tarifas dos transportes públicos, o aumento é nulo. À imagem do que já tinha sido decidido para 2015 pelo governo de Passos, o executivo decidiu agora manter inalterados os preços destes transportes.

O “Económico” avançava ontem na sua edição online que os utentes da Carris, dos metros de Lisboa e Porto, os STCP e a Transtejo/Soflusa não terão de pagar mais pelo mesmo serviço no início do próximo ano.

Antes deste congelamento das tarifas dos transportes públicos, o governo já tinha aumentado sucessivamente os preços, com subidas de entre 0,9 e 15%.

SOL