Politica

Nuno Melo responde a incentivos para suceder a Portas

Desde que Paulo Portas anunciou a decisão de abandonar a liderança do CDS que se acumulam no Facebook os apoios a Nuno Melo. São vários os que em posts ou comentários têm usado a página pessoal de Melo para o incentivarem a candidatar-se a suceder a Portas. Até ontem, o eurodeputado centrista tinha optado pelo silêncio, mas em vésperas de ano novo resolveu responder para explicar que essa ainda é uma hipótese em aberto.

 

«Têm sido muitas as mensagens de incentivo e apoio recebidas nos últimos dias, a propósito do momento que se vive no CDS. Independentemente daquela que venha a ser a minha decisão, quero que saibam que me sinto profundamente grato e honrado. E a todos desejo um Feliz Ano 2016», escreveu Nuno Melo no Facebook.

Para já, Melo continua a ponderar o que vai fazer, mas torna-se claro que é, para já, aquele que mais entusiasma os centristas que procuram agora um novo líder.

Dos vários nomes de que se fala para a sucessão a Portas, apenas João Almeida veio já a público afastar a hipótese de entrar na corrida à liderança, dizendo-se apenas disponível para apresentar uma moção no próximo Congresso do CDS – que deverá ser marcado no Conselho Nacional do dia 8 de janeiro.

Assunção Cristas, que tem dado sinais de estar disponível para ser líder do CDS, não faz, contudo, para já qualquer declaração pública sobre se vai ou não efetivamente avançar.

Pedro Mota Soares e Telmo Correia, outros nomes de quem se fala, também ainda não deixaram claro se estão ou não disponíveis.

No rescaldo do anúncio da saída de Portas, que apanhou a maioria de surpresa, os centristas preferem contar espingardas e evitam discutir nomes na praça pública. Para já, aguarda-se pelo anúncio público de quem estará disponível para entrar na disputa.

margarida.davim@sol.pt