Economia

Volkswagen perde quota de mercado

As principais marcas de automóveis conseguiram ganhar quota de mercado no ano passado, em que as vendas totais de veículos em Portugal subiram 24%, mas a Volkswagen (VW) surge em contraciclo, reflexo do impacto da fraude das emissões.

Ainda assim, no conjunto do ano, conseguiu manter o segundo lugar das marcas mais populares junto dos consumidores portugueses. A marca alemã vendeu 16.900 ligeiros de passageiros em 2015, uma subida de 22% face ao ano anterior.

Mas os alemães estão a desacelerar – em 2014, o crescimento tinha sido 36,9% – e as marcas que rivalizam com VW obtiveram taxas de crescimento superiores. Dezembro foi o pior mês para a marca: as vendas caíram 7,6%, para 1.048 ligeiros de passageiros.

A Renault continua a ser a marca mais vendida em Portugal, com 20.447 ligeiros de passageiros, um aumento homólogo de 25,3% face a 2014. Mas há incertezas sobre a evolução deste ano, já que na semana passada o fabricante francês foi alvo de buscas por parte das autoridades francesas – também na sequência de suspeitas relacionadas com emissões.

Os testes efetuados depois escândalo que envolveu a Volkswagen revelaram que foram “ultrapassadas as normas” para o dióxido de carbono e óxido de azoto na Renault, anunciou o governo francês.

A marca avançou entretanto com duas hipóteses para as normas terem sido ultrapassadas: o teste pode ter sido feito num veículo antigo, vendido antes da norma Euro 6 entrar em vigor, ou pode tratar-se de um veículo com um problema. No entanto, o fabricante já garantiu que “todos os veículos novos” postos à venda pela Renault estão “em conformidade”.

Ao todo, segundo os dados da Associação Automóvel de Portugal (ACAP), venderam-se 213.645 automóveis no ano passado, dos quais 209.352 foram ligeiros (mais 23,9% face a 2014).  Em 2015 verificou-se um crescimento expressivo da Mercedes (32,6%) e da BMW (21,4%). Houve ainda 4.293 vendas de pesados (um aumento homólogo de 27,6%).