Sociedade

Agente de execução desviou 1,5 milhões

O Ministério Público deduziu acusação contra um agente de execução e a sua empresa por desvio e apropriação ilícita de quase 1,5 milhões de euros de contas-cliente, anunciou ontem a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa.

O arguido está acusado de abuso de poder, peculato, branqueamento de capitais, falsificação de documento e falsidade informática.