Opiniao

Feliz Dia dos Amigos, mas só de alguns.

Pára de partilhar o vídeo de Facebook dos teus amigos a dizer que tens muitas saudades deles, se logo a seguir vais dizer que não podes ir este sábado ao jantar de aniversário de um deles porque tens de ficar a actualizar o teu top friends do hi5 e a tomar conta do teu peixinho vermelho novo.

É triste que tenha que ser o Facebook a lembrar-te deles, mas nem tudo está perdido. Quer dizer, se calhar está. Se calhar, arranjaste namorada e, sem que os teus amigos tivessem tempo de te dar os parabéns por isso, desapareceste do mundo. Só a vês à frente, como um gordo a quem lhe deram pizza grátis para sempre. Se calhar, gastas 100€ em copos e jantares num único fim-de-semana, mas – como isto está difícil, não é? – não podes gastar 50€ a ir a Londres visitar os teus amigos que tiveram que emigrar – porque isto está realmente difícil. Se calhar, decidiste só que já não precisavas deles até o Facebook te lembrar de como a tua vida tinha muito mais piada antes.

Caso contrário, larga o Facebook, larga esta crónica e toda a internet e vai ter com eles. Brinda e agradece aos que te seguram o cabelo quando vomitas, aos que alinham sempre naquela “jola” ao final da tarde, aos que sofrem e festejam os golos contigo, os que ficam a entreter a amiga feia enquanto tentas safar a gata, aos que te recomendam os melhores sites porno, aos que te pagam jantares quando estás falido sem esperar nada em troca, aos que gozam contigo por achares que o melhor escritor português é o José Rodrigues dos Santos, a todos. Até aos que não merecem assim tanto. Eles, um dia, mesmo que tarde de mais, vão perceber que passar por isto sem amigos não tem graça absolutamente nenhuma.