Politica

Banif: Passos Coelho e António Costa na comissão de inquérito

PCP chama mais de 30 personalidades, entre as quais Durão. 


Começa a ficar fechada a lista de responsáveis políticos e da banca que vão ser chamados a à comissão parlamentar de inquérito ao processo que conduziu à venda e resolução do Banco Internacional do Funchal (Banif). Só o PCP quer ouvir mais de 30 personalidades, entre as quais Passos Coelho, Durão Barroso, Maria Luís Albuquerque, Mário Centeno, Carlos Costa, governador do Banco de Portugal (BdP), Carlos Tavares, presidente da CMVM,  e Ricardo Mourinho Félix, o atual secretário de Estado do Tesouro e das Finanças, além de antigos e novos administradores do banco, como Luís Amado, Jorge Humberto Tomé ou António Varela, representante do Estado no conselho de administração entre 2013 a 2014 e membro do conselho de administração do BdP desde 2014. 

Também Sérgio Figueiredo, diretor de informação da TVI – estação que avançou em dezembro com a informação de que o banco iria fechar – deverá ser chamado pelos comunistas, a quem coube a presidência da comissão  de inquérito, liderada por António Filipe. 

O pedido de audição a Passos Coelho não agradou o PSD. Carlos Abreu Amorim veio mesmo a terreiro sublinhar que não há “justificação” para o antigo primeiro-ministro ser ouvido na comissão, embora o PSD, e o CDS, não tenho votado contra. Mas respondeu com a mesma moeda: se o PCP elevou o “patamar político”, chamado Passos os sociais-democratas querem ouvir AntónioCosta. Assim sendo, o primeiro-ministro também terá de ir ao parlamento responder às questões dos deputados.

Todas as personalidades que são convocadas pela comissão parlamentar de inquérito são obrigadas a responder, podendo dar o contributo pessoalmente ou respondendo por carta.