Internacional

Assad quer ser lembrado como o homem que 'salvou' a Síria

O presidente sírio, Bashar al Assad, afirmou que daqui a dez anos quer ser "a pessoa que salvou seu país" e admitiu a importância para o exército sírio da ajuda russa e iraniana.

"Daqui a dez anos, quero ter sido capaz de salvar a Síria, mas isto não significa que vou continuar a ser Presidente”, sublinhou Assad numa entrevista publicada pelo jornal espanhol El País.

“Se o povo sírio me quiser no poder, eu lá estarei. Se não me quiser, não há nada que possa fazer, quer dizer, não posso ajudar o meu país, por isso teria de sair imediatamente”, acrescentou Assad.

Para o Presidente, o seu trabalho e o seu dever agora são salvar o país, até porque, afirmou Assad, “há 80 países a apoiar os grupos terroristas [nome que o regime dá aos rebeldes] na Síria”

Bashar al Assad está no poder desde 2000.