Desporto

Nike retira patrocínio a Pacquiao

O pugilista filipino Manny Pacuiao que vai pendurar as luvas para concorrer ao Senado do seu país, afirmou na passada segunda-feira que  os homossexuais «são piores do que os animais porque estes sabem distinguir o macho da fêmea», no início desta semana à TV5, um canal de televisão  local.  

A onda de contestação na internet, desde celebridades a grupos que defendem os direitos da comunidade Lésbicas,Gays, Bissexuais e Transexuais (LGBT) Apesar de se ter retratado publicamente com um pedido de desculpas, utilizou uma citação da bíblia para reiterar a sua opinião. «O que digo é verdade. É o que a Bíblia diz», disse o atleta de 37 anos que aderiu ao evangelismo em 2010.

A marca desportiva norte-americanaNike, que tinha contrato promocional com Pacquiao, não ficou satisfeita com o pedido de desculpas e anunciou o fim do contrato em comunicado na passada quarta-feira. «Consideramos os comentários do Manny Pacquiao abomináveis, a Nike opõem-se fortemente a qualquer tipo de discriminação, e tem uma longa história de apoio e defesa dos direitos da comunidade LGBT». Findou assim a relação entre os dois.

O vencedor de nove campeonatos em oito classes de peso diferentes tem uma carreira de sucesso e é adorado no seu país natal pela sua história de vida. Terá ainda um último combate no próximo dia 9 de abril contra TimothyBradley mas os efeitos dos seus comentários ainda estão por descobrir nas sondagens e mesmo na eleição nas Filipinas, um país profundamente católico.