Desporto

Portugal pode ter 3 equipas na Champions em 2017/18

O FC Porto nem chegou a sonhar com o apuramento frente ao Dortmund, o Sporting ainda esteve perto de vergar o Bayer mas ficou pelo caminho e apenas o Sp. Braga conseguiu carregar o estandarte luso para os oitavos-de-final da Liga Europa. A última jornada europeia não foi totalmente negra para as equipas portuguesas, mas não fica na memória pelas melhores razões.

Além de dois dos ‘grandes’ terem sido eliminados precocemente das competições europeias, Portugal ainda ficou em branco no ranking da UEFA com as novas derrotas sofridas no Dragão (1-0) e em Leverkusen (3-1). Mas nem tudo são más notícias: os mais diretos adversários também não fizeram muito melhor.

A comitiva nacional ocupa neste momento o sexto lugar, com 51,915 pontos, na perseguição à França (52,082), quinta classificada, e com vantagem para a Rússia (51,082), no sétimo posto. Se tivermos em conta que no final da época os países que ocupem o top-6 do ranking podem integrar seis equipas na UEFA em 2017/18, três delas na Liga dos Campeões, percebemos o que está em jogo.

O ideal era chegar ao 5.º: o que equivale a duas entradas diretas na Champions e outra no playoff, o vencedor da Taça de Portugal joga a fase de grupos da Liga Europa e o 4.º e 5.º classificados da I Liga a 3.ª pré-eliminatória. Já no 7.º lugar, Portugal iria perder um representante na Liga dos Campeões.

É aqui que entram as boas notícias: França e Rússia, os maiores rivais, também perderam duas equipas na última ronda da Liga Europa e ficaram sem representantes em prova. No caso francês, o Marselha e o Saint-Étienne ficaram pelo caminho, enquanto que do lado russo o Lokomotiv e o Krasnodar também foram eliminados.

Portugal é agora o único país, dos três que disputam os últimos bilhetes do top-6, com dois representantes nas competições europeias: o Sp. Braga na Liga Europa e o Benfica na Liga dos Campeões, que curiosamente tem como adversário no acesso aos ‘quartos’ os russos do Zenit. E ainda há os franceses do Paris Saint-Germain, bem encaminhados depois do triunfo da primeira mão frente ao Chelsea (2-1).

As contas são fáceis de fazer: se os encarnados chegarem aos quartos-de-final, Portugal garante, no mínimo, o sexto lugar do ranking e as consequentes três entradas diretas para a edição 2017/18 da Liga dos Campeões. Para já, a equipa de Rui Vitória leva vantagem sobre a de André Villas-Boas (1-0 na Luz). E ainda há o Braga, em condições de amealhar mais pontos sobre o Fenerbahçe de Vítor Pereira, na próxima fase da Liga Europa. Tudo parece em aberto.

Sem argumentos para o poderio alemão

Nem o Sporting, muito menos o FC Porto, conseguiram anular no derradeiro embate europeu a desvantagem da primeira mão. Salvou-se o Braga que, diga-se, teve pela frente um adversário mais acessível: o Sion (4-3 no somatório dos dois jogos).

Depois da derrota em Dortmund (2-0), os dragões não tiveram argumentos para impedir um novo deslize em casa (0-1). É já a quarta derrota em nove jogos na era Peseiro. O mesmo destino tiveram os leões, que continuam sem vencer na Alemanha (11 derrotas em 12 deslocações). Apesar da igualdade registada ao intervalo no BayArena (1-1), que ainda dava esperança à equipa de Jorge Jesus após a derrota em Alvalade (0-1), o Bayer provou na segunda parte a sua superioridade (3-1) e deixou o Sporting de fora dos ‘oitavos’ da Liga Europa pelo quarto ano consecutivo.

O único com motivos para sorrir foi o Braga, que ao empatar com o Sion, na Pedreira, (2-2) fez valer o triunfo da primeira mão na Suíça (1-2). Segue-se um duelo entre velhos conhecidos. O sorteio realizado esta sexta-feira na sede da UEFA, em Nyon, ditou em sorte o regresso de Vítor Pereira, Nani, Bruno Alves e Raúl Meireles a Portugal. Mas não são as únicas caras conhecidas para o futebol português no Fenerbahçe. O emblema turco ainda conta nas suas fileiras com Markovic (ex-Benfica) e Diego, Fabiano Freitas e Souza (todos ex-FC Porto). O saldo de confrontos com formações turcas dá moral aos minhotos: quatro vitórias e duas derrotas.

‘Grandes’ agarram-se à calculadora

Na próximo ano, a época 2011/12 deixa de contar para o ranking de clubes da UEFA. Um ano em que os leões de Sá Pinto chegaram às meias-finaIs da Liga Europa e conquistaram o 9.º lugar entre as equipas que amealharam mais pontos nas competições europeias. O ponto mais alto do Sporting nos últimos cinco anos. Ou melhor, o dobro do coeficiente da segunda melhor campanha (2014/15).

Um dado que aperta as contas da equipa de Jorge Jesus para os próximos sorteios. O que poderá ser evitado no caso da conquista do título nacional, que daria o acesso direto à Liga dos Campeões.

Mais folgados nas contas estão Benfica e FC Porto. A dupla presença na final da Liga Europa das águias e as últimas prestações dos dragões permitem atenuar eventuais prejuízos, conservar as cotações dos últimos anos e garantir uma boa posição no ranking para possíveis sorteios.