Politica

O último ato de Cavaco e Costa

Conselho de ministros presidido pelo PR aprovou medidas e celebrou “normalidade institucional”            

AP  

A seis dias do final do mandato, Cavaco Silva foi ontem o convidado de um conselho de ministros especial, sobre o mar, que simbolizou “a normalidade institucional” entre o Presidente da República e o primeiro-ministro, António Costa, depois de início conturbado no período pós-legislativas. Simbólica foi também a oferta por António Costa de uma caravela em filigrana a Cavaco Silva.

Correspondendo ao convite do governo do PS, Cavaco presidiu à reunião de ministros, realizada no Forte de São Julião da Barra, em Oeiras. António Costa garantiu ao Presidente da República que o governo “tudo fará para, ao longo da legislatura, dar continuidade ao desígnio” deixado por Cavaco – que nos seus mandatos elevou o mar à categoria de área prioritária ao desenvolvimento do país.

Na conferência de imprensa, a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, apresentou um pacote de medidas que inclui um Fundo Azul de investimento e simplificação administrativa.

Na declaração aos jornalistas, ao lado de António Costa, o Presidente da República disse que o “reencontro de Portugal com o mar é um dos grandes desafios do nosso século”.

Cavaco considera que o pacote de medidas que foi aprovado constitui um “passo em frente de medidas concretas e necessárias para transformar as potencialidades do mar em oportunidades de negócio, propiciando crescimento económico e criação de emprego, com respeito rigoroso da sustentabilidade ambiental dos oceanos”.

António Costa disse que o convite ao PR surgiu como sinal de que as suas “palavras, mensagem e desígnio nacional” sobre o mar” “encontraram neste governo uma expressão”. E que a formação de um Ministério do Mar é, desde logo, uma tradução desse legado do Presidente.