Politica

PCP, PEV e BE não aplaudem. Bloquista Pureza ironiza no Facebook

As bancadas parlamentares do PCP, PEV e do BE não aplaudiram o momento da tomada de posse de Marcelo Rebelo de Sousa. E também permaneceram sentadas e em silêncio no final do discurso do novo Presidente da República. A excepção foram alguns deputados do Bloco que aplaudiram sentados um discurso que foi caracterizado por muitos políticos e comentadores como abrangente.

Já José Manuel Pureza, ex-líder do grupo parlamentar bloquista e actualmente vice-presidente da Assembleia da República, colocou ainda no Facebook um comentário irónico de apoio… a outro Marcelo.

“Sempre achei Marcelo um tipo extraordinário, capaz de nos maravilhar pela palavra e de nos comover pela imagem. Um gerador de consensos. Um enorme artista”, escreveu Pureza, ‘postando’ uma fotografia do ator de cinema italiano Marcelo Mastroiani.

 

 

Sempre achei Marcelo um tipo extraordinário, capaz de nos maravilhar pela palavra e de nos comover pela imagem. Um gerador de consensos. Um enorme artista.

Posted by José Manuel Pureza on Wednesday, March 9, 2016

 

Nas reacções oficiais sobre o discurso do novo Presidente da República, Bloco e PCP foram contidos.

Jerónimo de Sousa elogiou Marcelo por ter destacado a importância da Constituição da República, mas acrescentou que não chegam “as boas intenções”, e rematou com uma máxima: “A prática é a mãe de todas as coisas”. O líder do PCP concordou como novo PR que é necessário sarar as feridas após a crise que abalou o consenso social mas, mais uma vez, distanciou-se de Marcelo. “Da nossa parte há sempre vontade de consensualizar, mas em torno de quê? Essa é a questão”.

No mesmo registo, a porta-voz do Bloco, Catarina Martins, reconheceu que Marcelo “tentou fazer pontes com vários setores” mas considerou o discurso de Marcelo “conservador”.

manuel.a.magalhaes@sol.pt