Economia

UGT diz que governo vai considerar Novo Banco como "empresa em reestruturação"

O Novo Banco vai ser considerado “empresa em reestruturação”, o que irá permitir alargar “o número daqueles que podem aceder ao subsídio de desemprego se decidirem aceitar a rescisão do contrato de trabalho”. Esta informação foi revelada esta terça-feira pela UGT, após uma reunião com o ministro do Trabalho, Vieira da Silva.

DR  

Segundo o comunicado divulgado pela central sindical, “Vieira da Silva garantiu que o banco será considerado empresa em reestruturação, de acordo com as normas da legislação em vigor”.

“Como a lei impõe, o processo foi requerido pelo banco e está a ser apreciado pelo governo, sendo depois ouvidos os parceiros sociais”, lê-se na nota.

No comunicado, a UGT salienta que “o reconhecimento de empresa em reestruturação é de toda a importância para os trabalhadores do banco, pois permite o alargamento do número daqueles que podem aceder ao subsídio de desemprego se decidirem aceitar a rescisão do contrato de trabalho”.

“Além da relevância que a questão assume em termos de rendimento para os trabalhadores que deixarem a instituição, soma-se também o facto de o período de subsídio de desemprego ter efeitos na contagem de tempo para a reforma”, acrescenta.