Politica

PCP sem “pachorra” para mediatismo de Marisa Matias nos atentados de Bruxelas

Quando Jerónimo de Sousa falou de uma candidata ‘engraçadinha’, os dirigentes do Bloco reagiram contra o que entenderam ser uma referência sexista a Marisa Matias e o secretário-geral do PCP acabou por pedir desculpa pelo que disse ser um mal-entendido.  Mas, menos de dois meses depois das eleições presidenciais, Marisa Matias e o PCP aparecem mais uma vez em rota de colisão.

O protagonismo mediático da eurodeputada do BE, que apareceu em várias notícias e nas televisões a seguir aos atentados de Bruxelas, irritou o dirigente da Comissão Política de PCP que tem o pelouro das relações internacionais. “Não há pachorra!”, escreveu Ângelo Alves no Facebook, por causa de uma notícia que descrevia em pormenor o dia de Marisa Matias na capital belga, depois das explosões.

A notícia em causa, com o título “Bruxelas/Atentados: Marisa Matias compra mantimentos e reúne equipa em sua casa”, conta, com pormenor, e na primeira pessoa, como a eurodeputada “conseguiu comprar alguns mantimentos, antes de as lojas em Bruxelas encerrarem”, na sequência do estado de emergência na capital belga. “Juntei a equipa em minha casa e estamos aqui a aguardar instruções", relatou Marisa Matias à Lusa, acrescentando  que conseguiu reunir em sua casa quatro dos cinco elementos do Bloco de Esquerda que trabalham no Parlamento Europeu.

Marisa informa ainda que os bloquistas estavam retidos em Bruxelas e que tinham aberto um grupo no Facebook para poderem comunicar, devido às dificuldades com a rede telefónica.

Em resposta, o comunista Ângelo Alves publicou um relato pormenorizado do dia dos eurodeputados e assessores do PCP no Parlamento Europeu, com smiles à mistura. A ironia é notória.

O dirigente comunista diz que “gostaria de informar que” o eurodeputado João Ferreira “apesar de se encontrar em parte incerta entre Bruxelas e Lisboa… atende telefones”. E que outro eurodeputado do PCP, João Pimenta Lopes saíra do Parlamento para ir buscar os filhos -- “Fonte de Bruxelas informa que ele cometeu essa loucura de se deslocar de carro!”, brinca Ângelo Alves.

A ironia do comunista atira-se depois à ida às compras de Marisa Matias.

Diz Ângelo Alves: “A restante "equipa" (nós temos essa estranha mania de lhe chamar colectivo) em que todos se apoiam a todos, esteve, e ainda lá estão, no Parlamento a Trabalhar. Irão a pé ou então de autocarro, não consegui confirmar toda a informação. Têm "mantimentos" básicos lá nos gabinetes... Café, Chá e Bolachas”, escreve Ângelo Alves. “Que conste não creio que nenhum tenha ido às compras hoje. Como é terça feira ainda devem ter "mantimentos" suficientes até amanhã, porque geralmente aproveitam o fim de semana para ir às compras”.

O dirigente comunista termina o post com um ‘conselho’ à comunicação social: “Pronto... E agora senhores da Lusa e afins façam favor de fazer também uma parangona com esta informação altamente relevante que acabo de divulgar em primeira mão.... Não há Pachorra!!!!!!”.

 

 

Gostaria de informar que:1 - O João Ferreira está a vir para Portugal. Deslocou-se para Paris e virá de Avião para...

Posted by Ângelo Alves on Tuesday, March 22, 2016

 

Nos comentários ao post avulta a irritação com o destaque das notícias sobre Marisa Matias a falar de si própria.  “E agora em directo (porque o ridículo não tem limites e a CMTV sabe-o). Valha-nos a legenda, tão elucidativa da ilustração”, lê-se num comentário ilustrado com uma imagem da CMTV com o título “Terror em Bruxelas”.

Marisa “virou capa de revista”, escreve outra comentadora ao post que foi partilhado mais de 120 vezes.