Economia

Correios: há mais pontos de acesso mas menos tráfego postal

Dados da Anacom sobre a rede postal em 2015.

O número de pontos de acesso à rede postal aumentou mas o tráfego postal continuou a diminuir em 2015.

De acordo com os dados divulgados esta quinta-feira pela Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom), o acréscimo de 2,4% do número de pontos de acesso (para 13.460) deveu-se “ao aumento do número de marcos de correio do grupo CTT, em resultado do cumprimento dos objetivos e regras de densidade postal”.

“Está assim a inverter-se a  tendência de redução registada nos últimos anos”, refere a nota publicada pelo regulador do setor.

A densidade e a cobertura postal também aumentaram o ano passado para, respectivamente, 771 habitantes por ponto de acesso e 14,6 pontos de acesso por 100 quilómetros quadrados.

Já no que toca ao tráfego postal, os dados da Anacom apontam para uma quebra de 3,3% para 847 milhões de objectos.

O regulador salienta, porém, que esta diminuição é inferior à redução média anual verificada nos últimos quatro anos (-5,6%).

Do total de objetos postais enviados, 78,5% eram correspondências (-0,8 pontos percentuais que em 2014), 9,5% publicidade endereçada (+0,8 p.p) e 7,4% correio editorial (-0,2 p.p.).

Segundo o comunicado da Anacom, 96,3% dos objetos distribuídos destinaram-se ao mercado nacional.

Em relação às receitas totais provenientes dos serviços postais, os dados do regulador indicam que ascenderam a cerca de 654 milhões de euros, o que representa uma quebra de 6,3% em relação a 2014.