Economia

DBRS admite corte no rating de Portugal

A agência de notação financeira canadiana DBRS admitiu esta sexta-feira cortar o rating de Portugal caso haja incertezas políticas ou se o crescimento económico não for suficiente para reduzir a dívida pública, lê-se em vários meios de comunicação social.


Recorde-se que a DBRS é a única agência de notação financeira que atribui uma nota de investimento a Portugal. As três maiores entidades de 'rating' consideram que a dívida pública do país ainda está num grau de 'lixo'.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) alertou no relatório divulgado hoje que a revisão em baixa da nota de investimento "constitui um risco no curto prazo" com "grandes consequências" para o país.

A causa para esse possível corte é o eventual "enfraquecimento do compromisso político perante políticas económicas sustentáveis", a reversão de reformas estruturais, um crescimento económico mais fraco do que o esperado, o que pode levar a uma deterioração da dinâmica da dívida pública, ou a persistência de uma incerteza política, explica Adriana Alvarado, analista para Portugal da DBRS.

A dívida pública portuguesa volta a ser avaliada pela DBRS a 29 de abril.

Os comentários estão desactivados.