Cultura

Festival da Canção fora da RTP

Não é um até sempre, mas um até já. Esta é, pelo menos, a promessa da direção de programas da RTP no que diz respeito ao Festival da Eurovisão. Ou seja, este ano não estaremos presentes nem poderemos assistir ao festival na televisão portuguesa. Em 2017... logo se vê.

A decisão tem tudo que ver com as sucessivas más classificações do nosso país e também da queda nas audiências de um programa que, no passado, parava Portugal. No futuro, a ideia é encontrar uma fórmula que permita repensar o Festival da Canção e, assim, garantir que Portugal pode ter uma representação mais marcante na Eurovisão.

A verdade é que, apesar das críticas dos mais apaixonados pelo festival, em outubro já tinha sido dada a conhecer a decisão da estação de que Portugal não seria candidato nesta 61.ª edição doFestival Eurovisão da Canção, que acontece a 10, 12 e 14 de maio, em Estocolmo, na Suécia. E esta, de resto, não é a primeira vez que o nosso país não foi concorrente: o mesmo aconteceu nos anos de 1970, 2000, 2002 e 2013. «Depois duma longa e ponderada avaliação da nossa participação neste evento, e ao mesmo tempo a necessidade de substituir e criar novos conteúdos, decidiu a direção de programas da RTP não considerar este ano o Eurovision Song Contest na sua grelha de programação. Depois de algumas dezenas de anos a participar neste grande evento, vamos fazer uma pausa mas fica a promessa de um regresso na edição de 2017», lia-se num comunicado oficial que, de resto, já fazia adivinhar que, não só Portugal não teria um concorrente, como a RTPnão iria transmitir o festival.

Uma decisão que acabou por ser agora confirmada, sendo que o canal público não transmitirá o festival na antena e nem sequer numa das suas outras plataformas. Ou seja, quem quiser acompanhar a emissão terá de o fazer através do site da Eurovisão.

Edição polémica

De alguma forma, a polémica tem marcado todas as edições da Eurovisão. Ainda em 2014, escreveram-se rios de tinta sobre a participação de Conchita Wurst, também conhecida como a mulher barbuda. No entanto, a verdade é que a representante da Áustria acabou por vencer o concurso com a balada ‘Rise Like a Phoenix’.

Já este ano, a canção da Ucrânia ajudou a aumentar a tensão entre este país e a Rússia. Tudo porque o tema em questão, intitulado ‘1944’ e cantado por Susana Jamaladinova, aborda as deportações de tártaros da Crimeia – e uma das regras do festival é que as canções não tenham qualquer temática política. Apesar das críticas, o tema foi entretanto oficialmente autorizado a participar no concurso. «O grupo de referência do concurso da Eurovisão examinou a elegibilidade da canção da Ucrânia e concluiu que o título e as palavras da canção não têm nenhuma mensagem política e que não violam o regulamento do concurso. A canção pode participar no Festival Eurovisão da Canção de 2016», lê-se no comunicado da União Europeia de Radiotelevisão, que organiza o concurso.