Politica

Militares preparam desagravo a ex-ceme

O clima de contestação ao ministro da Defesa acalmou com a nomeação do novo Chefe de Estado-Maior do Exército (CEME), tenente-general Rovisco Duarte. Mas o levantamento militar por causa da demissão do general Carlos Jerónimo não é um caso encerrado. Está a ser planeado um «gesto que dê nota do apreço» pelo ex-CEME que se demitiu depois dos reparos públicos do ministro Azeredo Lopes.

«O que fizeram com o general foi uma indignidade. Está a ser preparado uma iniciativa, que pode ser um almoço, no fundo um gesto que dê nota do apreço que nos merece este nosso camarada», conta o coronel Manuel Pereira Cracel. O presidente da Associação de Oficiais das Forças Armadas (AOFA) também contesta a situação que esteve na base da demissão – a suspeita de que os alunos homossexuais do Colégio Militar são discriminados.

«Parece que o que querem é pôr em causa o Colégio Militar. Não terá sido inocente como as coisas surgiram e isso agora começa a ficar mais claro», diz o coronel.

Leia mais da edição do SOL, já nas bancas