Sociedade

Relação não altera caução de 300 mil euros aplicada a Vara

A Relação de Lisboa decidiu manter o valor da caução pedida a Armando Vara na Operação Marquês. No recurso, os advogados do ex-ministro do PS defendiam que os 300 mil euros exigidos pelo Tribunal Central de Instrução Criminal eram um exagero.


O também ex-administrador da Caixa Geral de Depósitos está atualmente em liberdade mediante o pagamento desta caução, antes esteve em prisão domiciliária com pulseira eletrónica.

No processo em que também é arguido os ex-primeiro-ministro José Sócrates, Vara está indiciado pelos crimes de corrupção, fraude fiscal e branqueamento de capitais.