Economia

Crédito à habitação atinge máximos desde a chegada da troika

O crédito à habitação representou quase metade do total do crédito concedido (48%). 

Foram concedidos 491 milhões de euros em crédito à habitação, em março, revelam os últimos dados do Banco de Portugal. Este valor representa um crescimento de 29% face ao mês anterior e é o valor é mesmo o mais elevado desde maio de 2011, altura em que chegou a troika e foram concedidos 536 milhões de euros.

Segundo os dados do órgão regulador, o crédito à habitação representou quase metade do total do crédito concedido (48%). 

No total, o novo crédito a particulares ascendeu a 1.012 milhões de euros e, pela primeira vez, em quatro anos, a fasquia dos mil milhões de euros em novo crédito às famílias foi superada.

Além do crédito à habitação, também os restantes segmentos assistiram a aumentos, em Março. Foram concedidos 349 milhões de euros em crédito ao consumo, o valor mais elevado desde Dezembro de 2012. Já as novas operações de crédito para outros fins ascenderam a 172 milhões de euros, o valor mais elevado desde Dezembro.

Nos primeiros três meses do ano, os bancos emprestaram 2.570 milhões de euros às famílias.

Financiamento às empresas também subiu

Mas o aumento da concessão de crédito não se limitou apenas aos particulares. Também as empresas captaram mais financiamento. Desde dezembro, que as sociedades não-financeiras não conseguiam tanto crédito. As novas operações ascenderam a 2.711 milhões de euros, mais 21% do que um mês antes.

O financiamento às pequenas empresas ascendeu a 1.607 milhões de euros, enquanto as grandes empresas conseguiram 1.104 milhões de euros, o que compara com os 909 milhões de euros emprestados um mês antes.

No acumulado dos primeiros três meses do ano, foram concedidos 7.355 milhões de euros às empresas, o que representa o pior trimestre desde que o Banco de Portugal começou a recolher estes dados em 2003.